Thorsten Heins comenta sobre o Futuro dos Tablets no mercado Corporativo


Em uma entrevista recente ao site Bloomberg em Los Angeles, o CEO da BlackBerry Thorsten Heins soltou uma opinião sobre o futuro do mercado de tablets daqui a 5 anos e como de costume, a mídia está abusando com as notícias que levam os comentários ao extremo.

“Em cinco anos eu não acho que vai haver uma razão para se ter um tablet.” – disse Heins

De qualquer forma, eu acho que é possível que Thorsten Heins realmente acredita que o mercado de tablets inteiro vai desabar ao longo dos próximos 5 anos, pelo menos no mercado corporativo. Porém é bastante provável que este comentário tenha um contexto melhor estruturado que foi totalmente cortado da citação.

Estamos vendo essa citação em um vácuo. Como tal, é um comentário inútil e nós realmente não devemos perder muito tempo interpretando, como fazem os haters com comentários esdrúxulos.

Interpretando a Citação

A BlackBerry tem um plano de negócios em mente que diverge dos planos da concorrência. Os comentários que Thorsten feitas na estrevista estão em linha com comentários anteriores que ele fez sobre o futuro da computação móvel em geral e as possibilidades que vêm com uma plataforma como o BlackBerry 10.

“Talvez existam telas grandes no ambiente corporativo. Tablets não são bons modelos de negócio”, declarou Heins

Portanto, podemos analisar que em 5 anos você não precisará andar com um Smartphone e um Tablet ou laptop nas mãos. Se o smartphone pode executar um programa de e-mail e se conectar a um teclado Bluetooth completo, mouse óptico (ou trackpad) e um monitor HDMI, então por que não apenas conectar o smartphone através de um dock station e usá-lo para acesso remoto do escritório?

Creio que o seu ponto de vista foi dizer que o dispositivo móvel que está no seu bolso (smartphone), está chegando ao ponto em que tem bastante poder em executar tarefas de processamento semelhante a um computador. Considerando o usuário estar conectado na nuvem e podendo conectá-lo em periféricos como monitor, teclado e mouse, não fica difícil de imaginar o uso do smartphone em casa e no trabalho conectando aos periféricos e tendo a mesma experiência. Todo o seu ambiente de trabalho estaria no seu smartphone!

Os tablets não estão morrendo, porém o seu lugar no mercado corporativo vai mudar com a computação móvel que se tornará mais comum. Aposto que este é exatamente o contexto da discussão que estava tendo entre Heins e a Bloomberg – o acesso remoto dos executivos em seus notebooks / tablets.

Não caia nestas citações fora de contexto que são distorcidas. Quando não se tem todos os fatos, basta o bom senso para analisar a situação e interpretar da melhor maneira possível. É o que fazemos aqui no BerrySocialBr, tendo base no que conhecemos da BlackBerry ao longo de sua trajetória de sucesso.